Descentralizar, descarbonizar e digitalizar

O futuro da geração elétrica no Brasil e no mundo está no chamado 3 Ds do setor elétrico: Descentralizar, descarbonizar e digitalizar. O assunto foi um dos painéis do primeiro dia da 10ª edição do Brazil Windpower, que teve início nesta terça-feira (28), em São Paulo.

Com apresentação do chefe de pesquisa América Latina da BloombergNEF, James Ellis, participaram dos debates o presidente Executivo do GWEC, Ben Backwell, o responsável pela Enel Green Power Brazil, Roberta Bonomi, o fundador da Utopus Insight, Balki Iyer, o presidente da ABB Brasil, e o diretor de Estratégia e Regulação da Engie Brasil Energia, Edson Silva.

Em sua intervenção, Balki Iyer ressaltou a relevância dos 3 Ds para o setor eólico e solar mundial e propôs acrescentar ao grupo o debate sobre a eletrificação. “Nos últimos anos a maior transformação que ocorreu no mundo foi por meio da eletrificação, por isso, sem dúvida, eu acrescentaria a eletrificação como estratégica neste debate ”, explicou.   Balki lembrou ainda que somente a indústria eólica e solar, movimentam cerca de 100 bilhões de dólares em todo o mundo, o que dá ao setor uma relevância incontestável.