Especialistas destacam impactos socioambientais dos parques eólicos brasileiros

As soluções para o futuro da energia eólica e a importância do consumo consciente das grandes empresas foi destaque no primeiro dia do BWP, em São Paulo. Para falar sobre o tema foram convidados o vice presidente do Departamento de Vendas Tecnicas MED, VESTAS, Federico Nestor Gonzalez, o presidente AES Brasil, Italo Freitas, a gerente de Energia e Eficiência da Telefônica/Vivo, Jussara Tassini, o diretor de Energia Elétrica da EPE, Fernando  Lopes e o Sócio Diretor do Instituto Totum, Erik Eduardo Rego.

Nos debates, os especialistas ressaltaram os impactos socioambientais dos projetos e parques eólicos. “Um projeto eólico instalado em uma região com altos índices de pobreza representa muito mais do que reduzir a emissão  CO2 no meio ambiente. Ele gera um grande impacto socioambiental, promovendo a imediata melhoria na condição de vida da populacao local”, explicou Italo Freitas, presidente AES Brasil. Os debates contaram com a moderação do Presidente da PSR, Luiz Barroso.

A instalação dos parques não interfere no cultivo rural destas propriedades e permite o desenvolvimento de outras atividades como agropecuária e criação de animais. Outro fator é o aproveitamento e capacitação da mão de obra local. O setor tem se mostrado cada vez mais importante para o País, tanto no sentido de ampliar a participação das energias renováveis na matriz elétrica brasileira, como para contribuir com a retomada de crescimento econômico do Brasil.