Ministro de Minas e Energia anuncia investimentos de 400 bi no setor elétrico

Declarações foram feitas durante a abertura da 10ª edição do Brazil Windpower, que segue até quinta-feira (30), em São Paulo

O ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, afirmou nesta terça-feira (28), em São Paulo, que o governo brasileiro deverá investir cerca de R$ 400 bilhões no setor elétrico nos próximos 10 anos. Deste total, R$ 226 bilhões serão destinados para a geração centralizada de energia, com previsão de implantação de mais 2 GW de geração eólica. As declarações foram feitas durante a abertura da primeira edição da Energy Week, que reúne, paralelamente, dois grandes eventos do setor elétrico brasileiro: o Energy Solutions Show e o Brazil Windpower (BWP).

Para uma plateia composta pelas principais autoridades e executivos do setor eólico nacional e internacional, o ministro reafirmou o compromisso com as fontes renováveis e disse que o governo pretende ampliar o diálogo com o Congresso, para assegurar maior competitividade ao setor elétrico brasileiro. “Renovamos nosso compromisso de continuarmos apoiando iniciativas dedicadas às fontes renováveis, com um diálogo amplo, republicano e transparente com todos os setores da sociedade, Congresso Nacional, governadores, Agências Reguladoras, associações do setor, empreendedores e a comunidades cientificas”, afirmou Bento Albuquerque.

Responsável pela realização do evento, o CEO do Grupo Canal Energia, Rodrigo Ferreira, deu as boas-vindas aos congressistas, expositores e autoridades presentes e destacou a comemoração dos 10 anos do Brazil Windpower, que ocorre pela primeira vez na capital paulista. “O nosso principal desafio é atender ao virtuoso crescimento do setor eólico brasileiro, proporcionando neste encontro uma oportunidade única de networking e impacto de marca perante o mais alto escalão do setor eólico nacional”, afirmou Rodrigo Ferreira. As edições anteriores do BWP ocorreram no Rio de Janeiro.

O presidente do Conselho de Administração da ABEEólica, Renato Volponi, apresentou os principais indicadores do setor eólico nacional e defendeu a unificação dos mercados de energia livre e regulado. “Qual o sentido de termos dois mercados distintos, fazendo a mesma coisa? O que temos hoje é o mercado livre e regulado trabalhando na mesma sinergia. Se comparamos o setor elétrico a uma teia, percebemos que existem fios que são os pilares do mercado, mas existem muitos outros que estão sem finalidade e precisam ser refeitos”, defendeu.

Na ocasião, Volponi apresentou aos participantes do evento um vídeo de boas vindas da presidente Executiva da ABEEólica, Elbia Gannoum, que teve que fazer uma viagem internacional inesperada para receber um prêmio. Na mensagem, Elbia apresentou os principais números do setor, que mostram que a energia eólica já é a segunda maior fonte da matriz energética nacional. “O setor eólico acaba de atingir 15,1 GW de capacidade instalada de produção no Brasil, com 602 parques eólicos, operando em 12 estados. Estes números mostram o potencial deste setor, que cumpriu um importante papel no desenvolvido socioeconômico do pais nos últimos 10 anos”, afirmou Elbia Gannoum.

O presidente Executivo do GWEC, Ben Backwell, também criticou o excesso de regulação no setor elétrico nacional e defendeu o aumento de investimentos no setor. “Precisamos de um ambiente de mercado livre no Brasil. Não há mais necessidade de intervenções do governo na regulação do setor. Estamos vivenciando um crescimento virtuoso no setor eólico e precisamos aumentar em pelo menos cinco vezes o investimento atual”, defendeu Ben Backwell.

A presidente e CEO da GE do Brasil, Viveka Kaitila, também participou da mesa de abertura do evento e destacou o potencial do mercado eólico brasileiro. De acordo com a executiva, a GE do Brasil tem investido cada vez mais em geradores híbridos, com o uso de baterias, para solucionar a intermitência da fonte eólica. O evento, que teve início nesta terça-feira (28), segue até a quinta-feira (30), no Transamérica Expo Center, em São Paulo.